Pouso Alegre 24 horas

Bruno Covas será sepultado no mesmo cemitério em Santos, SP, onde seu avô Mário Covas está há 20 anos

Por P.A 24H em 16/05/2021 às 10:42:49
Prefeito licenciado de São Paulo tratava um câncer no sistema digestivo e estava internado desde 2 de maio no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo. Bruno Covas em cerimônia de apresentação do Centro de Pesquisas Avançadas de Grafeno, Nanomateriais e Nanotecnologias - MACKGRAPHE, no Comando Militar do Sudeste, em março de 2019.

Isac Nóbrega/PR

O prefeito licenciado de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), que morreu vítima de câncer neste domingo (16), será sepultado no Cemitério do Paquetá, em Santos, no litoral de São Paulo, o mesmo que seu avô, Mário Covas, foi enterrado há 20 anos após morrer por conta da mesma doença. O sepultamento ocorrerá ainda neste domingo e a Prefeitura da cidade já enviou viaturas da GCM ao local para evitar aglomerações.

Morre Bruno Covas: veja FRASES do político

O funeral de Covas será realizado a partir das 13h, no hall da Prefeitura de São Paulo, e será reservado para 20 pessoas. Após a cerimônia, haverá um cortejo fúnebre para Santos, até o Cemitério do Paquetá, onde ele deverá ser sepultado. Ambas as ocasiões serão acompanhadas somente pela família.

Covas estava internado no Hospital Sírio-Libanês, no Centro da capital paulista, desde 2 de maio, quando se licenciou da prefeitura. Na sexta-feira (14), ele teve uma piora no quadro de saúde e a equipe médica informou que seu quadro havia se tornado irreversível.

Bruno Covas será sepultado no Cemitério do Paquetá, em Santos (SP)

Arquivo pessoal

Santista

Bruno nasceu em Santos, em 7 abril de 1980, filho de Pedro Lopes, engenheiro da Autoridade Portuária de Santos, e Renata Covas, a única filha mulher de Mário Covas e Lila. Ele era considerado o neto favorito de Mário Covas, que foi prefeito da capital na década de 1980 e governador do estado entre 1995 e 2001.

Aos 9 anos, passou a integrar o “Clube dos Tucaninhos”, cuja carteirinha de filiação era guardada por ele como recordação até depois de adulto. Aos 14 anos, Bruno Covas deixou o litoral e foi morar na cidade de São Paulo com o avô, no Palácio dos Bandeirantes, sede oficial do governo paulista. De acordo com funcionários, Bruno era “bem mais tranquilo para lidar do que o avô”.

Cursou o ensino médio no Colégio Bandeirantes, um dos mais tradicionais da capital, onde conheceu um de seus grandes amigos, Luiz Álvaro Salles Aguiar de Menezes, que se tornou seu secretário municipal de Relações Internacionais décadas mais tarde.

Menezes disse que na escola os colegas se surpreendiam ao descobrir que Bruno era neto do governador. “Acho que eles esperavam uma figura engomadinha, e não aquele cabeludo com camiseta de rock n"roll sem manga que estudava com a gente”, contou, em entrevista ao SP1.

VÍDEOS: G1 em 1 Minuto Santos

Fonte: G1

Comunicar erro

Comentários