Pouso Alegre 24 horas

Povos indígenas, sociedade civil e empresas pedem que EUA aprovem fundo de proteção de florestas

Por P.A 24H em 10/05/2022 às 23:03:15
A carta foi enviada nesta terça-feira (10) para o presidente Joe Biden e para a presidente da Câmara dos Representantes, deputada Nancy Pelosi. O Congresso americano vai debater a proposta que cria fundo bilionário. Povos indígenas, sociedade civil e empresas pedem que EUA aprovem fundo de proteção de florestas

Representantes da sociedade civil, dos povos indígenas e de empresas brasileiras pediram ao governo dos Estados Unidos que aprove um fundo bilionário para financiar a conservação de florestas tropicais.

A carta foi enviada nesta terça-feira (10) para o presidente americano, Joe Biden, e a presidente da Câmara dos Representantes, deputada Nancy Pelosi.

Alertas de desmatamento na Amazônia passam de 1 mil km² em abril

O presidente Biden anunciou a intenção de criar um fundo para financiar a conservação das florestas tropicais do planeta em novembro do ano passado, na última Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas. Esta semana, o Congresso americano vai debater a proposta que estabelece acordos de longo prazo para combater o desmatamento em países em desenvolvimento.

É um modelo parecido com o do Fundo Amazônia, criado com recursos da Noruega e da Alemanha para financiar ações de conservação no Brasil. Mas os dois países suspenderam os repasses em 2019, primeiro ano do governo Bolsonaro, por causa da atual política ambiental. Hoje o fundo tem em caixa mais de R$ 3,5 bilhões, que estão bloqueados.

Na carta, representantes de mais de 300 empresas e organizações da sociedade civil brasileira pedem a aprovação do fundo americano, de até US$ 9 bilhões.

O grupo lembra que o Brasil concentra cerca de dois terços da Floresta Amazônica, a maior floresta tropical do mundo, e vem perdendo para o desmatamento. Só no ano passado, o Brasil foi responsável por 40% de toda a perda de floresta tropical no planeta. Entre agosto de 2020 e julho do ano passado, a Amazônia perdeu mais de 13 mil quilômetros quadrados, o maior índice registrado desde 2006.

“Esta perda pode comprometer o papel do bioma nos ciclos globais de água e na regulação da variabilidade climática, além de acelerar o seu processo de savanização. A destinação de recursos internacionais, portanto, é imprescindível para evitarmos o colapso de nossos ecossistemas florestais.”

O Congresso americano ainda vai decidir sobre o fundo. O grupo sugere que ele reúna projetos de todas as esferas do poder público e tenha a participação da sociedade civil, mas dê preferência aos povos da floresta, e que o repasse de dinheiro seja feito com base em resultados. O principal deles: manter a floresta em pé.

“As florestas em geral são um ativo importante para a humanidade estabilizar o clima do planeta. A Amazônia representa em torno de 40 a 45 % das florestas tropicais do planeta. Ou seja, ela tem uma importância estratégica na manutenção do clima. Portanto, a manutenção da integridade da Amazônia é um fator fundamental para gente conseguir atingir as metas de manutenção do clima do planeta que estão escritas e acordadas no Acordo de Paris”, afirma André Guimarães, da Coalizão Brasil Clima, Florestas e Agricultura.

Fonte: G1

Comunicar erro

Comentários