Pouso Alegre 24 horas

'Marmitagate' e Osint: como técnica de investigação online pode ajudar a evitar possíveis golpes

Por P.A 24H em 28/09/2022 às 16:23:49
Projeto de doação de marmitas que pedia doações na internet está sendo investigado pela Polícia Civil por suposto crime de estelionato. Habilidades de buscas online ajudaram a questionar seu funcionamento, Veja como aplicar. Imagem no Instagram do projeto social Alimentando Necessidades em Blumenau (SC)

Reprodução/Redes Sociais/@alimentando_necessidades

Um caso de Twitter virou caso de polícia nesta quarta (28).

Quem habita a rede social acompanha, desde o fim de semana, a investigação paralela do “marmitagate”. A Polícia Civil iniciou uma investigação para apurar o suposto golpe e crime de estelionato via redes sociais de um projeto social que pede doações para aquisição de marmitas para pessoas necessitadas em Santa Catarina.

Se não sabe do que se trata, explico agora:

Há um projeto que entrega marmitas para pessoas em situação de rua em Blumenau, Santa Catarina, e pede doações de internautas pra montar as quentinhas.

As organizadoras seriam duas jovens de 20 anos, melhores amigas.

Mas algumas inconsistências despertaram a desconfiança de que a história toda era um golpe. A primeira é que o perfil de uma das organizadoras usava uma foto falsa e ela nunca apareceu em fotos ou vídeos.

Não há uma prestação de contas clara sobre o valor recebido e o orçamento com as marmitas.

As fotos de entregas de marmitas que aparecem no Instagram são antigas e não há vídeos ou fotos recentes.

De olho na história, um perfil na plataforma github, usada por desenvolvedores, usou técnicas de OSINT (Open Source Intelligence, ou informações de fontes abertas, em português) para questionar algumas das informações oferecidas.

Peculiaridades do "caso de Santa Catarina” à parte, as técnicas de Osint são ótimas ferramentas para investigação de pessoas, empresas, perfis duvidosos e tentativas de fraude.

Como fazer?

A maneira mais fácil de começar a pesquisa é jogando o nome daquela pessoa no Google. Mas para fazer isso de uma forma mais assertiva, dá pra usar a busca bolean - aquela que usa parênteses e alguns comandos pra filtrar os resultados.

Por exemplo, se quiser verificar se a pessoa tem algum problema com a justiça, pode pesquisar por "nome sobrenome" site:jus.br. Assim, ele vai retornar todos os resultados daquele nome em sites de tribunais. Aqui segue um exemplo comigo:

Busca boleana do Google

Google

Você pode trocar o jus.br pelo site que quiser e ver a mágica acontecer. Se quiser buscar em sites de governo (federal, estadual e até prefeituras), é só colocar gov.br.

Em linhas gerais, as principais ferramentas são:

Busca por imagem no Google

Google

Imagens de satélite, como os serviços de Google Earth e Google Street View: você pode procurar o lugar que precisa por meio do endereço ou das coordenadas geográficas. Também é possível “andar” pelas ruas da ferramenta e comprar a imagem atual com imagens de anos anteriores.

Busca reversa por imagem: Basta subir uma imagem no google e pedir para a busca ser feita a partir dela. Aí é possível encontrar imagens parecidas, correspondentes, todos os sites que contêm essa imagem e a primeira vez que ela foi publicada.

Busca por palavras-chave em redes sociais por meio de ferramentas específicas para isso: Como a maioria está em inglês, é possível usar as próprias ferramentas das redes, como a opção de busca avançada no Twitter e no Facebook.

Busca pelo nome da pessoa ou empresa em bases de dados públicas, como sites da Receita Federal e dos tribunais de justiça dos estados.

Busca avançada no Twitter

Twitter

Como usar para apurar possíveis golpes

Se estiver em dúvida sobre pessoas pedindo ajuda em redes sociais, jogue a foto de perfil na busca reversa do Google para ver se aquela foto já foi usada por alguma outra pessoa ou perfil. Se a foto pertencer a outra pessoa, você provavelmente vai achar em perfis em redes sociais ou em bancos de imagens.

Veja quando aquela conta foi criada, quais as publicações mais antigas e se elas fazem sentido com o discurso atual da pessoa.

Pesquise pelo nome da pessoa no Google e busque mais informações que afirmem a existência dela e a veracidade da história.

Você pode procurar o nome completo dela em sites dos Tribunais de Justiça ou no Jusbrasil. Se a pessoa tiver processos, eles vão aparecer ali. Além de saber se há enrosco na justiça, pode ser que o CPF dela esteja nos documentos do processo e você consiga fazer buscas pelo número do documento.

Se você achar um perfil de redes sociais daquela pessoa, tente entrar em contato e peça o telefone.

Em casos como este da marmita, uma saída também seria dar um rolê pelo street view na rua em que as doações ocorreram para encontrar algum estabelecimento que possa confirmar se já viram esse movimento de doação acontecer.

Sites para buscas

Busca por processos: sites dos tribunais de Justiça geralmente têm essa estrutura, só muda a sigla do estado: https://pje.tjba.jus.br ou https://tjrj.pje.jus.br

Busca por empresas: sites das juntas comerciais (http://www.institucional.jucesp.sp.gov.br/ em São Paulo ou https://www.jucerja.rj.gov.br/ no Rio, por exemplo)

Busca por CNPJ: neste site do governo, é possível buscar a situação da empresa na Receita Federal.

Fonte: G1

Comunicar erro

Comentários